Canto do Inácio

Friday, March 13, 2009

CAPITÃO NASCIMENTO É UMA RUÍNA AMBULANTE
INÁCIO ARAUJO




"Tropa de Elite" um filme fascista, como acreditam muitos críticos? Essa pode ser uma impressão apressada, dessas em que se confunde o discurso da personagem com o do filme.

É verdade que Capitão Nascimento é um tipo a que não falta ambiguidade. Sua tropa está lá para barbarizar mesmo. Certo ou errado, ele sabe que participa de uma guerra em dois fronts: contra os traficantes, de um lado, e contra a política corrupta de outra.

Tudo isso faz dele uma mistura de Rambo com Eliot Ness, celebrizado por "Os Intocáveis". Não tem muito tempo para divagações e teorias. A teoria é um inimigo tão perigoso quanto uma bazuca. É proibido pensar: recebe-se o mundo tal como ele vem e pau na máquina. Esse último item ajudou Nascimento a se tornar um herói de pessoas para quem o mundo está pensado, não devemos nos ocupar com isso: basta agir.

A verdade, no entanto, é que a vida do capitão é uma ruína. A implantação de seus métodos tem um custo tão alto que ele não consegue nem ter uma família (e nem, de resto, implantá-los para valer, institucionalmente). Capitão Nascimento é uma ruína ambulante, assim como sua tropa.

No fundo, o que este filme faz é nos lembrar que questões como violência urbana e justiça social estão longe de serem resolvidas. Chama o Foucault, por favor.

(texto publicado na Folha de S. Paulo do dia 01 de março de 2009)

4 Comments:

  • Esse cara é bom no que faz(o Inácio)

    By Blogger Batman, at 6:18 PM  

  • A outra crítica sobre o filme é ainda melhor!

    Eu gosto muito da forma como ele relaciona os pequenos textos diários.

    By Blogger Leonardo Bomfim, at 7:24 PM  

  • Desculpe Inácio, isso está me cheirando a análise puramente ideológica, com claro vies esquerdista. Trata-se do mesmo filme basbaque, da linhagem Pixote, só que com sinal invertido. Só que ai, não vale. Tem que levar porrada porque não eleve o bandido à posição de anti herói, de vítima do 'sistema'. Quem não quer ver os vagabundos dos traficantes mortos e as dezenas de milhares de vistimas justiçadas? só que não quer ver é quem se interessa no desvirtuamento, no estado de exceção, naquela linhagem tosca de 'policia = perseguição = ditadura', que acha que a morte de dezenas de milhares é parte triste, mas indissoluvel de um 'mundo melhor'. Não há mundo melhor, há o mundo. E há os capitães Nascimento, e isso não torna o filme fascista. Fascismo é pregar o heroísmo da bandidagem, querendo justificar a carnificina unicamente por causa da miséria desse 'poffo sufridu'.

    By Blogger Pablo, at 10:24 AM  

  • não quero ser grosseiro, pablo, mas essa patrulha ideológica não faz sentido com nosso querido inácio, que fica longe das análises superfciais e sociológicas. Também enche o saco essas análises amargas do tipo "o mundo é assim mesmo, por isso vamos barbarizar, mete bala no bandido e cabô".

    By Blogger allegro non troppo, at 8:21 AM  

Post a Comment

<< Home