Canto do Inácio

Tuesday, February 24, 2009

BOYLE FORÇA A MÃO E TRANSFORMA A ÍNDIA EM ESGOTO A CÉU ABERTO
INÁCIO ARAUJO


Depois de ver "O Leitor" era justo imaginar que nada pior poderia acontecer. Engano. Depois havia ainda "Quem Quer Ser um Milionário?", como a mostrar que o Oscar 2009 busca ser a pior edição de todos os tempos.

Soube-se que Danny Boyle, promessa do cinema há pouco mais de dez anos, quando se esforçava para parecer um Gus van Sant inglês, ficou ofendido ao ver seu filme comparado com "Cidade de Deus". Mas o que há de melhor no novo Boyle é uma distante lembrança do filme de Fernando Meirelles.

Com efeito, logo no início há a favela, a criançada, as perseguições, a fotografia metálica, a câmera nervosa. Estamos na Índia, ex-colônia britânica. Seria possível dizer que mais valia cineastas ingleses tratarem das mazelas inglesas, que não são poucas, como a permissão para a polícia meter bala em brasileiros impunemente.

O fato é que em "Quem Quer Ser" não estamos em Londres, mas em Mumbai. Estamos às voltas com Jamal, o garoto do chá de um serviço de televendas, que se inscreve num programa de perguntas e respostas famoso por derrubar os mais cultos da Índia. Para surpresa geral, ele começa a ganhar prêmios.

Então a polícia intervém: Jamal é preso e torturado para confessar que fraude pratica. Depois de muita tortura, saberemos, nós e o policial que torturava (subitamente convertido em ouvinte atento do rapaz), que cada resposta foi aprendida ao longo da vida.

Fossa sanitária

Esse é o começo, e a coisa já é horrível. Para que Jamal ganhe mil rúpias ou algo assim seremos submetidos a uma das cenas mais desagradáveis da história do cinema: o menino que ficou trancado numa fossa sanitária percebe que a única possibilidade de ver seu ídolo, um cantor ou algo assim que acaba de chegar, é pular nas fezes acumuladas embaixo dele.

Ele não pensa duas vezes: pouco depois chega triunfal perto do cantor, coberto de fezes até a cabeça, pedindo um autógrafo.

Daí sabemos que é bom ficar preparado: a cada resposta corresponderá um episódio do tipo -e a coisa vai a 20 milhões de rúpias ou, pior, duas longas horas de filme. Nesse intervalo veremos a mãe de Jamal pegar fogo; Jamal, o irmão e a amiguinha serem recolhidos por um gângster, que faz crianças pedirem esmola; um desses meninos ter os olhos arrancados para comover os passantes. Vista por Boyle, a Índia é um esgoto a céu aberto, moralmente inclusive. Nesse lodo viceja a alma pura de Jamal, uma mistura do estoicismo do dr.

Kimble de "O Fugitivo" com a ingenuidade de Forrest Gump. Com ele entramos no terreno do prodígio. Jamal é puro, bom e forte o bastante para sobreviver. O que o torna assim? Algo de sua natureza, ou da ordem do destino. Ou seja, embora use a mão pesada para os problemas indianos, a explicação do caráter de seu herói é metafísica. Jamal passa incólume por tudo, como esse mundo infame em que vive não o afetasse.

Para fechar esse abacaxi, ocorreu a alguém transformar tudo em musical (é como o filme termina -e não há problema em saber, não tem nada a ver com a história): é como se a inconsequência final livrasse o filme da infâmia. Não livra.

(texto publicado na Folha de S. Paulo do dia 20 de fevereiro de 2009)

11 Comments:

  • Em "A Espiã" do Verhoeven tem uma cena tão ou mais desagradável quanto essa, mas ninguém reclamou. E o filme do holandês não é tudo aquilo que andaram dizendo, não.

    By Blogger Sergio L. Andrade, at 11:14 AM  

  • A cena em A ESPIÃ tem conotação e proposição bastante distinta à de SLUMDOG. A comparação nem é cabível. Não basta ter merda no corpo. É preciso fazer algum sentido. E a merda em Verhoeven é política; a de Boyle é fetichista.

    By Blogger Marcelo, at 7:49 PM  

  • Quando li esta crítica na FSP, fiquei feliz em saber que não sou a única pessoa a ter detestado profundamente o filme. Depois de tanto oscar, comentei que daqui prá frente vamos ter que aguentar um monte de slumpuppies...

    By Blogger Márcia W., at 9:13 AM  

  • rsrs, merda politica e fetichista foi otimo!!
    apoio e não apoio ao mesmo tempo, pq nao posso negar que me diverti assistindo. Saí de lá e fui pra casa dormir, sem nada na cabeça. Agora se isso eh bom ou ruim: depende. As vezes eh bom se livrar da merda politica e apenas assistir. Mas apenas as vezes.

    By Blogger Jose Diamantino, at 10:16 AM  

  • Realmente, o oscar desse ano foi lamentável. Primeiro com a decepção que foi o novo filme do david fincher, depois com esse cidade de deus reciclado. prefiro ficar em casa e economizar um troco.

    By Blogger allegro non troppo, at 8:59 AM  

  • Acabei de assistir "Slumdog". Ainda não tinha lido as críticas desfavoráreis ao filme e confesso que fiquei até surpreso com o peso das mesmas. Gostei do filme, da edição, da trilha sonora. Boyle flerta com a ingenuidade dos filmes "Bollywoodianos", mas nem por isso achei o filme caricato. A cena do musical não está aí à toa, afinal tais cenas são muito comuns em filmes indianos.

    By Blogger Lucio Mario, at 9:59 AM  

  • Entre "Caminho das Indias" e "Slumdog", Gandhi deve estar se revirando na tumba com tantos estereótipos toscos da India, justamente esse que é um país tão complexo...

    By Blogger Diego Azzi, at 10:24 AM  

  • tratar da miséria humana, de qq natureza, todas que consewguirmos imaginar com devidas diferenças ontológicas, sem o expoente da sátira fica no âmbito do mal gosto. e quem se acostumou a esse olhar deve estar vivendo ou querendo viver num comercial de margarinas. e se levando a sério demais tal como o filme. o diretor devia estar fora de si. como diz um amigo meu: "quando estiveres fora de si aproveita pra dar uma olhadinha no papel ridículo que esta fazendo".

    By Blogger valeska, at 2:41 PM  

  • Se alguem tivesse se dado ao trabalho de ler o livro, veriam que Boyle esta' longe de ser o "culpado" por ter feito um filme belissimo.

    By Blogger Ly*, at 11:23 AM  

  • Inácio:
    Eu discordo e concordo com vc. Slumdog é bem feitinho, tem um roteiro bonitinho, ele é um filme todo inho. Nao acho que seja tao ruim quanto vc fala. Mas tb acho um exagero esta folia toda em cima dele. É no máximo um filme mediano bem feito. Daqui a um mês ninguém mais vai falar ou lembrar dele.

    By Blogger Fabio Francener Pinheiro, at 11:28 AM  

  • achei o filme razoável..
    temuns acertos mas um monte de erros grotescos e absurdos

    esse oscar foi realmente uma piada

    By Blogger Jonathan Rodrigues (Conta do Orkut), at 11:48 AM  

Post a Comment

<< Home