Canto do Inácio

Monday, January 05, 2009

DE PALMA FAZ CRIAÇÃO DE FATO, NÃO ENFEITE
INÁCIO ARAUJO


São poucos os criadores que sobrevivem atualmente nesse moedor de carne que é a indústria do cinema americano sem abrir concessões. Há George Romero, John Carpenter, Clint Eastwood. E mais uns poucos. Nenhum talvez seja tão radical quanto Brian de Palma.

Tomemos "Dália Negra". É um filme de moleque. De Palma é capaz de criar um "travelling" alucinante (quando, por exemplo, atravessa toda uma rua em busca da imagem da mulher morta) para contar uma história praticamente incompreensível como esta.

Que importa? Se a vida e a morte (ao menos a desses personagens) são incompreensíveis, por que deveria o filme ser diferente? Afinal, sempre haverá os Christopher Nolan para fazer o cinema mastigadinho com cara de coisa profunda.

Enquanto existirem os De Palma, os Cronenberg -esses malucos que não passam nem na porta do Oscar, o cinema estará garantido. Será criação de fato, não enfeite.

(texto publicado na Folha de S. Paulo do dia 10 de setembro de 2008)

19 Comments:

  • Mas há aqueles que com a industria,não sei se por confronto ou adequação,melhoraram como o Sam Raimi da Trilogia aracnidea.

    By Blogger jose, at 8:01 PM  

  • This comment has been removed by the author.

    By Blogger byron-shelley, at 5:17 AM  

  • Byron,sobre o Batman do Nolan eu já falei mais do que devia.Agora como você tocou na questão da cultura adolescente,só queria dizer que o achado do Sam Raimi é transmitir visualmente(com super-efeitos) a grande sacada do Stan Lee que entendeu como ninguem uma cabeça adolescente que é jogada repentinamente no meio do Poder com tudo o que ele tem de sedutor e frágil.Isso serve como metáfora para todo tipo de ruptura com,por exemplo,a de um capitalismo adolescente que tem que sair à força da bolha.

    By Blogger jose, at 6:04 AM  

  • This comment has been removed by the author.

    By Blogger byron-shelley, at 7:15 AM  

  • This comment has been removed by the author.

    By Blogger byron-shelley, at 7:18 AM  

  • byron-shelley, acho que você exagera ao colocar o P. Jackson na sua lista. E, o que é pior, colocar o C. Nolan na mesma vala que o deliquente Joel Shumacher!

    Peter Jackson faz um cinema pouco convencional, na minha opinião. Basta analisar a carreira dele. Até mesmo os filmes da trilogia Senhor dos Anéis são exemplos disso. Tudo bem, é blockbuster, mas é preciosamente bem-feito.

    E o Nolan...concordo que esses filmes do batman são superestimados. Mas ainda é melhor do que muita porcaria que fazem por aí.

    Até mais!

    By Blogger Tuco, at 7:37 AM  

  • Argumentos fortes e bem expostos,Byron.Um ótimo resumo da discussão que o Batman de Nolan gerou.Discussão tão abrangente que com o tempo sempre mostra uma camada não explorada que,convencido pelo Allegro,eu acho que Nolan não sabia que estava colocando lá.Deixando tudo isso de lado,vida longa ao traficante de arte que é o Sam Raimi.

    By Blogger jose, at 8:07 AM  

  • This comment has been removed by the author.

    By Blogger byron-shelley, at 12:40 PM  

  • Byron,eu roubei a expressão "traficante de arte" de um texto do Inacio que o Diego transcreveu para o blog.Aí vai ele novamente.Clássico é clássico. Canto do Inácio
    Friday, March 14, 2008

    FRANQUIA "BATMAN" FAZ CRÍTICA A USOS E COSTUMES IANQUES
    INÁCIO ARAUJO


    Ninguém é obrigado a fazer o que não quer, diz Clint Eastwood em resposta a seus colegas diretores que se queixam das exigências dos produtores.

    Com efeito, ser um "yes man" é, de certa maneira, uma escolha. É verdade que a indústria de cinema, nos EUA, paga muito bem. Mas quem se deixa comprar, no mínimo, perde o direito à queixa.

    Tim Burton ilustra bem como é possível se equilibrar na corda bamba da indústria, fazendo obra comercial, sem abdicar da pessoalidade. E ele o fez no momento mais triunfal da cultura do "blockbuster", na virada para os anos 1990.

    Hoje, é possível verificar como "Batman" e "Batman, o Retorno" constituem um olhar crítico sobre os usos e costumes, políticos inclusive, da sociedade americana. É o mínimo que se pede, na verdade, de uma obra de arte. Mas filmes são, primeiro, uma mercadoria. Viva esses caráteres fortes, como Burton, que traficam suas obras de arte.

    (texto publicado na Folha de S. Paulo do dia 17 de setembro de 2007)

    By Blogger jose, at 3:41 PM  

  • (espero que meu comentário seja publicado dessa vez diego. prometo ser bonzinho...).

    Sam Raimi é muito mais que a franquia do homem aranha, podem ter certeza. Evil Dead 2 é uma das coisas mais impressionantes que já vi na minha vida.

    Esse negócio de traficante o inácio toma emprestado do Scorcese, naquele livro que ele escreveu sobre cinema americano, para falar de cineastas como o Jacques Tourneur.

    Sobre o Nolan: tentei ver novamente o filme do batman tentado achar a tal "camada" que o jose identificou nele. A a primeira metade do filme é absolutamente modorrenta, com tudo o que faz de nolan um cineasta meia boca. Mas não dá para negar que ele saiba jogar com a platéia com reviravoltas mirabolantes e um discurso filosófico capenga e empetecado. Pena que isso não o tranforme em um diretor palatável.

    E fico feliz que mais um pseudo-intelectual se pronunicie nesse espaço. Estava achanddo que só eu e o jose se arvoravam a fazer comentários tão mesquinhos e prepotentes.

    By Blogger allegro non troppo, at 7:57 AM  

  • Allegro,nem eu sei que camadas da minha alma o filme do Nolan revolve.Tentei explicar no meu blog,mas a coisa ficou confusa.Deixa p'ra lá.O que essa discussão deixa clara é que sempre devemos ouvir o Inacio da mesma forma que ele faz mesmo com os filmes que ele não gosta,por exemplo,do Woody Allen.

    By Blogger jose, at 8:49 AM  

  • Diego,Inacio.Noticia quente no blog dos Filmes do Chico.

    By Blogger jose, at 1:48 PM  

  • Só para ficar claro:Acho o Batman de Nolan um filme notável,mas que merecia entrar para a historia dos filmes-HQ era o Homem -Aranha,o anti-super-heroi como diz o Inacio.

    By Blogger jose, at 2:01 PM  

  • Ficou um pouco confuso.Paciencia comigo.Aí vai de novo:Quem merecia entrar para Historia do cinema americano era o Homem-Aranha de Sam Raimi.Não esquecendo quem abriu o caminho do bons filmes-HQ:Bryan Singer + Chris Claremount

    By Blogger jose, at 2:17 PM  

  • This comment has been removed by the author.

    By Blogger byron-shelley, at 4:30 PM  

  • infelizmente não é o que todo mundo acha, byron.

    By Blogger allegro non troppo, at 5:58 AM  

  • Tem coisa mais chata do que essa discussão sobre o Batman?

    By Blogger Ivan, at 11:18 AM  

  • Difícil...

    By Blogger allegro non troppo, at 7:11 AM  

  • Difícil...

    By Blogger jose, at 2:07 AM  

Post a Comment

<< Home