Canto do Inácio

Saturday, December 01, 2007

JOGO DE CENA
INÁCIO ARAUJO

Do Coutinho eu não falo. Não há o que o falar. Está tudo lá. Ou quase. Queria lembrar que o filme começa com um anúncio pedindo "atrizes para filme documentário". Como assim? Uma vez eu entrevistei o Coutinho. Ele se definiu: "Eu Sou um jansenista".

Ou seja: ele não é um gênio. Ele apenas sabe o que faz. Ninguém pense que aquilo brota na cabeça de um velhinho inocente. Isso não tem nada de inocente.

Somos os últimos de uma era, disse o Julio Bressane outro dia. Esse também sabe o que fala e o que filma. Não é chegar e ir rodando a manivela.

1 Comments:

  • Realmente, teste para "atriz de documentário"? Como assim?

    O filme é maravilhoso! É incrível como Coutinho consegue, com aparentemente pouco, multiplar as possilibilidades de significação, num jogo de espelhos e ecos que reverberam de uma seqüência para outra.

    Faz pensar em um número de questões: o que é representar? o que significa narrar uma história? como? para quem? para quê (para aparecer em um documentário? para ser visto? por quem?)

    Tem razão, Inácio. Está tudo ali. E Coutinho faz tudo direito: desde as escolhas do que entra (e o que fica de fora), passando pela ordem em que aparecem os depoimentos, até o modo como a coisa vai crescendo em desdobramentos, tornando o filme mais denso e interessante a cada minuto.

    Vi duas vezes, e acho que uma terceira me revelaria ainda mais sutilezas.

    Abraços,
    Carlos

    By Anonymous Carlos Lopes, at 6:28 PM  

Post a Comment

<< Home