Canto do Inácio

Wednesday, August 13, 2008

MOJICA VOLTA COM SANGUE E IMAGINAÇÃO
INÁCIO ARAUJO


Há mais ou menos 40 anos José Mojica Marins não filmava (se não contarmos aqui uns pornôs para sobreviver e a reutilização de cenas antigas). Talvez um dia seja possível apontar os responsáveis pelo crime de lesa-arte que consiste em deixar na geladeira um talento dessa extensão, enquanto somos castigados com filmes nacionais aguados.

Fazia também quase isso, desde "Delírios de um Anormal", que Zé do Caixão estava fora de circulação. "Delírios" foi uma tentativa de fuga, desde que a censura o podara de uma vez, na entrada dos anos 70. E, quando começa "A Encarnação do Demônio", fazia 40 anos que Zé do Caixão estava recolhido a uma penitenciária. Mesmo preso, diz-se em determinado momento, matou 29 pessoas. Com toda essa ficha, ele consegue sair da cadeia e, de início, toma contato com um mundo de violência inesperada: quase morre atropelado, é agredido verbalmente, é achacado num bar, cruza com meninos que se drogam.

Tudo isso pode ser surpreendente, mas não basta para desviar o velho maldito de seus propósitos: encontrar a mulher capaz de gerar o filho perfeito com que pretende eternizar seu sangue e desafiar os homens fracos, que acreditam nas coisas de Deus e da fé. Sem colocar em questão o mérito de cada proposta, o fato é que Zé as desenvolve muito bem, isto é: seu retorno se dá com mais sanguinolência e ainda mais imaginação.

A beleza plástica do filme (a fotografia de José Roberto Eliezer não trai o encanto popular dos primeiros Zé do Caixão) se impõe seqüência após seqüência. E cenas como a transa com a menina coberta de sangue mereciam estar em qualquer antologia do gênero.

Zé do Caixão não esquenta, em todo caso, com esses detalhes: vai tecendo seu mundo de horrores e se firmando de uma vez por todas como um dos maiores personagens do cinema brasileiro. Ao sair da sessão, um crítico indaga a outro: "Mas este é um B.O.?". Bem, ele custou R$ 1,8 milhão (mais R$ 500 mil para o lançamento). É um baixo orçamento (embora B.O. possa bem significar, no caso, boletim de ocorrência, tais as carnificinas que o velho maldito apronta).

O certo é que entre seus crimes não está o de desperdiçar dinheiro: Mojica chega a essa obra-prima com economia de recursos, belas atuações (Jece Valadão e Adriano Stuart brilham como policiais que podem ser muito bem estudados como exemplo do "estado policial em que vivemos"), Helena Ignez, efeitos e maquiagem modestos e eficientes, e um roteiro provocativo e cheio de imaginação. Tudo isso parece existir para demonstrar que, mais do que dinheiro, o cinema brasileiro e o público precisam é começar a reconhecer onde estão seus talentos.

(texto publicado na Folha de S. Paulo do dia 08 de agosto de 2008)

13 Comments:

  • Obrigado.

    By Anonymous Gabriel Carneiro, at 1:35 PM  

  • José Angelo:

    Pena, mas o filme é um fracasso descomunal e absoluto, talvez o maior da "Retomada" na proporção número de salas/número de espectadores, acho que só "superado" por "Quem Matou Pixote?". Acho que um lançamento menor e mais localizado seria interessante. No Rio de Janeiro, tinha que passar na sala super popular Palácio.

    Ademais, andei conversando com gente mais jovem e mais velha que eu (tenho 38 anos). Curioso, mas para ambas (no primeiro caso, por desconhecimento, no segundo, por esquecimento), o personagem Zé do Caixão lembra piadas e o humor tosco do programa de TV "Cine Trash", nunca cenas tão violentas quanto as dos filmes do Zé mesmo.

    Quando contei do conteúdo do filme, até convenci uns três fãs de gore, que adoram a sangueira dos "Jogos Mortais", a ir ver o filme. Pobre Mojica. Merecia melhor sorte.

    By Anonymous Anonymous, at 3:43 PM  

  • sad but true

    By Blogger allegro non troppo, at 5:17 PM  

  • Acho que é o fim de um projeto de cinema popular no brasil. A globo venceu.

    By Blogger allegro non troppo, at 5:18 PM  

  • Não acho, Mojica está aí, após 40 anos, ensinando como fazer cinema de verdade no Brasil apesar de suas origens humildes.

    Viva Zé do Caixão!
    O filme é incrível!

    POR VOCÊ E POR UM FILHO SEU
    EU COMERIA DA MINHA PRÓPRIA CARNE

    By Blogger mari, at 8:39 PM  

  • O filme é fenomenal.

    Fiquei muito triste com o resultado do primeiro final de semana de bilheteria.


    E justo quando toda a crítica estava se curvando ao mestre.

    By Anonymous Gabriel Carneiro, at 6:05 AM  

  • Pois é, as pessoas não o levam á sério mesmo aqui. Esse povinho do Brasil é fogo! Filme da Xuxa fatura um bocado, né?
    Como dizia aquela camiseta do Casseta: Ê Povinho Bunda!

    By Anonymous Reinaldo, at 7:23 AM  

  • Graças ao Mojica, Zé se tornou uma piada de si mesmo. Quem é cria ou criador? Além do mais, com uma classificação de 18 anos, as coisas se complicam...

    By Anonymous Anderson., at 9:32 PM  

  • É fato que o personagem ganhou um traço pitoresco nos últimos anos, muito mais por imposição da mídia que não quer reconhecer os méritos artísticos do mojica e prefere tratá-lo como um semi-analfabeto excêntrico.

    outra coisa que me desagrada é achar que o filme é um fracasso somente por causa de sua bilheteria, dando força ao reacionarismo burguês de considerar pecado mortal uma obra que não se paga e que fracassa como empreitada comercial. O sistema de subvenção fiscal deveria dar vazão a uma produção autoral, não fazer blockbusters a toque de caixa.

    O fato é que esse tipo de filme é praticamente uma aberração nesse sistema de multiplexes intalados em shoppings, com um público acostumado a filmes da pixar. Deveríamos aplaudir os produtores do longa pela coragem de trazer a filme a vida, mesmo com um cenário tão desanimador.

    By Blogger allegro non troppo, at 6:01 AM  

  • ps: parece que finalmente o clima esfriou. aleluia.

    By Blogger allegro non troppo, at 6:05 AM  

  • Fracasso?

    É um filmão. Fracasso é filme ruim. Algunas cenas estão entre as melhores já feitas no cinema de horror.
    Eu ainda acho que esse filme terá uma vida longa, fora do Brasil até.

    By Anonymous Leonardo Bomfim, at 4:27 PM  

  • Ah, esse é melhor que o do Nolan?

    By Anonymous Gerson, at 3:57 PM  

  • óbvio.

    e eu gosto de batman.

    By Anonymous Gabriel Carneiro, at 8:07 AM  

Post a Comment

<< Home