Canto do Inácio

Wednesday, June 20, 2007

A FAPESP É VERGONHOSA
INÁCIO ARAUJO

Mudando um pouco de assunto:

É pusilânime a atitude da Fapesp, que suspendeu o financiamento ao projeto Balada Boa, desenvolvido pela Psico-USP, depois que sites pára-policiais se dedicaram a atacá-lo, tomando o conceito de "redução de danos" como uma espécie de ofensa à ordem estabelecida.

O ser rastejante que comanda o espetáculo é um tal de Reinaldo Azevedo, é feio pra cacete e debilóide na mesma proporção.

Há pessoas assim, faz parte do mundo.

Agora, a pergunta que devemos fazer a qualquer ser que faça parte da Fapesp, que apite alguma coisa por lá, é: para que as pessoas precisam se formar, se pós-graduar, se doutorar, se pós-doutorar, publicar no exterior se tornarem cientistas, se no fim das contas quem vai dizer o que pesquisar ou não é gente empenhada, por ignorância ou má-fé, no cultivo da desinformação, como esse cara e alguns tantos????

29 Comments:

  • Leio o Inácio Araújo na "Folha", mas custo a acreditar que o autor desse blog seja o mesmo cara.

    Depois de chamar de débil mental quem aprovou o filme de Duran num programa de financiamento, ele faz uma crítica "profunda" à Reinaldo Azevedo. É para vituperar que esse blog serve? Despejar o que não se pode nem quer no jornal?

    Em qualquer sábio do globo terrestre um programa como "Balada Boa" foi e é contestado, passível de questionamento (e por vasta comunidade científica, sim senhor). E quem o está fazendo, não está sendo leviano nos argumentos.

    Mas não por aqui. Aqui o establishment dos formadores de opinião pode falar o que quiser, sobre o que desejar, porém não admite que façam o mesmo (estou me referindo não à Araújo, mas aos defensores do projeto que não admitem qualquer restrição à ele). Isto é muito mais que pusilâmine.

    By Anonymous Anonymous, at 6:35 PM  

  • Palmas, Inácio! Pensei que nunca diriam o que é preciso dizer sobre esse cara.

    By Anonymous ana, at 8:48 PM  

  • Achei a reação do Inácio um tanto destemperada. A Fapesp financia projetos e pesquisas com dinheiro nosso e por isso é preciso ser acompanhada de perto e questionada sempre que necessário. Por mais credenciais científicas que seus membros possam ter, nada a torna uma instituição intocável, acima de críticas.
    Consigo imaginar várias outras iniciativas de redução de danos (cracolândia, travestis e michês viciados em cocaína, etc) que mereceriam muito mais empenho e investimento ao invés de uma pesquisa sobre consumidores de ecstasy em raves/baladas de classe média alta. Redução de danos é uma ferramenta útil quando bem empregada e articulada com outras iniciativas. E para a Fapesp voltar atrás com tamanha rapidez, parece que eles não têm a mínima idéia das pesquisas que estão sendo desenvolvidas com as suas verbas. E não basta um bando de celebridades de segunda categoria e artistas para dar credibilidade a um projeto.

    By Anonymous Anonymous, at 10:10 PM  

  • Engraçado.
    Gostaria de saber porque os fomentadores de discussão mais contundentes aqui são "anonymous".

    By Blogger Franvogner, at 7:42 AM  

  • Não seja por isso. O meu post é aquele 'anonymous' com horário 10:10 PM. Meu nome é Cláudio, sou tradutor e tenho 43 anos. Moro em SP. Pronto! Saí do armário ;)

    By Anonymous Claudio, at 8:05 AM  

  • Sobre um comentário de "Anonymous":

    1) É evidente que qualquer projeto científico, da Fapesp ou não, envolvendo dinheiro público ou não deve ser discutido e tem que ser discutido.

    2) Qualquer projeto dessa natureza é discutido no interior do órgão antes de ser dado o financiamento.

    3) Mas também pode ser discutido por amadores como nós, no mero campo da chutação sobre se é melhor fazer isso ou aquilo etc.

    4) O que estou dizendo, portanto, é que é inconcebível uma instituição científica abdicar de seus próprios critérios em vista de nota publicada em blog de jornalismo mais ou menos marrom.

    5) O que isso tem a ver com o filme do Duran? Apenas me espantou que um roteiro tão errado pudesse ter sido contemplado em algum concurso. Nunca pedi para que ele ressarcisse os famosos cofres públicos ou coisa assim. Que comparação mais besta!

    6) A linguagem do blog e a do jornal é diferente. No blog há menos formalização, só isso.

    By Anonymous Inácio, at 9:20 AM  

  • Inácio, sempre fui admirador do seu trabalho como crítico de cinema. Foi através de seus textos que conheci Rosselini, Murnau e outros tantos gênios. Seu texto sempre me pareceu acima da média (na verdade, bem acima da média).

    Mas você acaba de perder um leitor. Se Reinaldo Azevedo é feio ou não, não vem ao caso. Debilóide, ele com certeza não é - é, isso sim, o jornalista mais importante do Brasil dos últimos anos. Além de inteligente e senhor de uma vasta cultura, ele é elegante, tem humor afiado e respeito pelos outros.

    Blogs e colunas de jornal têm características diferentes. Menos formalização não pressupõe falta de respeito. Com sua vasta experiência, você já deveria saber disso.

    Um abraço de um ex-leitor seu
    Henrique Ahrens

    By Blogger hahrens, at 2:32 PM  

  • Hahaha! O Reinaldo Azevedo nutre muitos sentimentos pelas pessoas (e idéias) de que não gosta, menos respeito. Ou chamar aqueles estudantes que invadiram a USP, em seu blog, de "remelentos e Mafaldinhas" demonstra respeito e eu nem sei disso? Ah, provavelmente este seja, afinal, o indício da elegância e do humor afiado dele. Sem falar na sua inteligência superior, "do tempo em que ainda era possível fazer piada no cinema e ser entendido por mais de cinco pessoas", capaz, inclusive, de colocar os professores da FFLCH em seu devido lugar: "Eles me aguardem. Esses gênios não perdem por esperar. O blog terá dias de 'A Praça é Nossa', sei disso, com sumidades uspianas no papel da Velhinha Surda". Alguém que se mune de sua própria verve lingüística para achincalhar o comportamento alheio não merece tratamento diferenciado. O mundo realmente precisa de mais ex-leitores, de preferência do Sr. Reinaldo.

    By Anonymous Cesar, at 10:03 AM  

  • Pô, Reinaldo Azevedo é um senhor que me causa uma certa pena de si, sempre que eu leio algo dele. Mas dificilmente eu escolheria a inteligência como característica mais marcante dos textos dele.

    By Anonymous daniel, at 6:57 PM  

  • Resposta ao Henrique Ahrens.

    Diz Francis Ponge que não tomar partido já é tomar um: o pior.

    O meu está tomado. Acho o mccarthismo, mais que um acontecimento histórico, um estado de espírito.

    Nunca fechei e não pretendo começar agora, com nosso neo-mccarthismo, portanto com policiais, delatores, linchadores, caluniadores em geral.

    Agora: ou bem se está com Rossellini, e a tolerância, ou bem com a linguagem autoritária de alguns.

    No mais, estou aqui porque este é um lugar para me divertir com amigos, quer os conheça pessoalmente ou não.

    By Anonymous INÁCI O ARAUJO, at 7:48 PM  

  • Mestre Inácio,

    1)Debilóide tenho certeza que o Reinaldo Azevedo não é. Acho-o extremamente arrogante e muitas vezes leviano - ele deu para, por exemplo, meter o pau em teses da geografia da USP tendo por base (?) da análise apenas os títulos. Burro e louco, porém, sinceramente não me parece o caso.
    Discordo, claro está, de muito do ele diz. Mas acho que ele tem todo direito de externar suas opniões, como vc ou eu. Até onde vejo, ele não advoga nada ilegal no blog dele. Não defende, tampouco, censura ou cadeia a quem tenha opinião diferente da dele- isso sim seria macartismo.

    2) Tá certo que o blog permite uma certa informalidade (por certo maior que a das páginas da Folha), como se fora papo de botequim. Mas é um botequim público, ao qual qualquer um tem acesso, não apenas os amigos íntimos. E acho que ao desqualificar alguém por ser feio para cacete, vc por estar passando pra quem não te conhece uma imagem totalmente oposta à verdadeira. Se vc fosse do tipo que julga pessoas pela aparência, jamais seria amigo de um sujeito feioso como eu. Se não fosse dos caras mais generosos que conheço, jamais teria tido a paciência de escutar com interesse as tolices que eu dizia sobre cinema do alto da vaidade dos meus 21 anos.

    Abração saudoso,

    Mug

    By Anonymous Murilo, at 10:14 AM  

  • PS - De resto, concordo que há algo, senão de podre, pelo menos de muito suspeito no comportamento da FAPESP.
    Se não retirou o patrocínio por questões técnicas, mas porque se assustou com a repercussão negativa (em alguns setores, ao menos) do Baladaboa, foi de fato pusilânime.
    Se o programa tinha problemas e a FAPESP precisou, para identificá-los, da intervenção de um blog escrito por jornalista político (e não por psiquiatra ou psicólogo), bem, é um caso de retumbante incompetência (na aprovação do projeto e/ou no seu acompanhamento).
    Se, finalmente, a decisão de cortar a verba independeu dos comentário de RA et alii e com eles coincidiu por (in)felicidade, bem, vai ser ruim de marketing assim no inferno.

    By Anonymous Murilo, at 11:42 AM  

  • RESPOSTA AO MURILO:

    Caríssimo,

    sim, acho que o teu PS, vencido o cipoal da linguagem e outras pequenas coisas, é o que vai ao ponto:

    existe uma relação perversa entre mídia e poder (ver o "Zodíaco", de David Fincher, notável a esse respeito); uma contaminação doentia.

    De todo modo, faço uso de uma linguagem violenta (mas não de poder), ás vezes de choque mesmo, para me referir a coisas de que não pretendo me ocupar nem por um segundo (análise da linguagem autoritária na mídia brasileira contemporânea).
    Com essa violência (perdão pela parte surrealista de minha juventude) quero significar a repulsa a certo tipo de ressentimento que se difunde muito no Brasil e do qual me parece que certas pessoas mais se servem do que expressam.

    Abraço grande,

    Inácio

    PS - Ah, PS, também, nós sabemos que Quasímodo não é feio, que não são feios os monstros de "Freaks". A feiúra é outra coisa.

    By Anonymous Inácio Araujo, at 2:20 PM  

  • - Cipoal da linguagem? Porra, agora cê partiu para o jiu-jitsu...

    - Reinaldo Azevedo é autoritário, sim. Basta ver como ele conduz o blog (quando dá espaço à contestação, é para ridicularizá-la, não para com ela dialogar). Acho, porém , que usar violência (ainda que verbal, mesmo que não de poder) contra tipos como ele, é tudo que eles querem, para poderem posar de mártires das causas das senhoras de santana.

    - Acho que ele não apenas se serve do ressentimento (esse é o Mainardi). Acho que ele é sinceramente ressentido. Mas insisto: tem direito de sê-lo.

    - Mas posso, e devo mesmo, estar errado. Tanto faz. Não vale a pena brigar com vc por conta do mané do Reinaldo Azevedo.

    - Zodíaco é do cacete. O melhor (pra não dizer o único digno de nota) filme americano do ano. E a melhor coisa que o Fincher já fez.

    Abração,

    Mug

    By Anonymous Murilo, at 3:17 PM  

  • Caro Inácio,
    Você caiu na rede dos anjos exterminadores do cardeal Reinaldo Azevedo. Isso se não for o próprio RA nesses comentários anônimos. Além de feio e estúpido, o RA não sabe do que está falando, cita filosofices de maneira complamente errada, é desonesto intelectualmente, covarde.
    Outro dia, o RA danou a escrever na inVeja sobre Gramsci, mas nem citou que o dono de seus comentários era o astrólogo Olavo de Carvalho.
    RA jamais leu Gramsci, sequer tem capacidade de entender.
    Ele virou uma fonte de leitura de quem não lê. É um poço onde certos leitores (que não lêem e nem estudam) acreditam estar tomando um gole de conhecimento.
    Tomam, na verdade, um porre de ódio e intolerância.

    By Anonymous Enio, at 7:06 AM  

  • Vim até aqui lhe dar um ibopezinho só para que você tenha conhecimento de que há gente que flagra a sua ignorância. Você não engana tanta gente não.

    Se você não gosta do Reinaldo Azevedo, isso não me diz respeito. Gosto é gosto e não se discute.

    Agora, defender o Baladaboa é se contrapor à razão e à lucidez. Se foi o Reinaldo Azevedo o primeiro que apontou a incoerência e a nocividade deste projeto, parabéns para ele. Aliás, vou até aproveitar para conhecê-lo melhor, já que você fez a propaganda positiva, mostrando-me que nem tudo está perdido na imprensa brasileira e há ainda alguma mente crítica funcionando por aí. Feio ou não, não faz diferença, porque não julgo os outros pela aparência, como alguns neofascistas.

    By Anonymous Anonymous, at 11:44 AM  

  • Engracado essas duas frases serem da mesma pessoa, escritas (ou pelo menos postadas) com apenas alguns dias de diferenca....parece que o final de semana mudou sua visao do mundo.....hoje (ou melhor, ontem) voce ja esta bem mais tolerante do que na sexta. Parabens!

    Sexta: "O ser rastejante que comanda o espetáculo é um tal de Reinaldo Azevedo, é feio pra cacete e debilóide na mesma proporção."

    Segunda: "Aliás, o cinema pode ter seus problemas e suas vergonhas, mas é uma arte da tolerância, da convivência."

    Caio

    By Anonymous Anonymous, at 11:55 AM  

  • Inácio ...quem?

    By Blogger Carlos, at 12:18 PM  

  • Ser rastejante? Feio pra cacete? Debilóide?

    Que recalque é esse?

    O que o Reinaldo Azevedo fez de tão ruim que merecesse adjetivos tão abjetos?

    Será que as palavras do Reinaldo incomodam tanto que não podem ser rechaçadas por outros argumentos que não os de cunho meramente pessoal e subjetivo?

    Isso, em retórica, é conhecido como argumento ad hominem. Serve para diminuir o interlocutor quando suas idéias parecem ser insuperáveis pela lógica. Só posso atribuir essa violência verbal a esse velho truque retórico, com todo respeito.

    By Anonymous Anonymous, at 12:43 PM  

  • Sou leitor e admirador de Reinaldo Azevedo, vim dar uma olhada neste blog apos o comentairo que ele fez.
    Que diferença..é outro mundo! Que mediocridade! Um espanto...volto correndo pra lá....

    By Anonymous Anonymous, at 12:58 PM  

  • O Reinaldo falou tudo, tu és um chinelão mal-remunerado que faz resumo de release de filmes e se diz crítico de cinema. Ele devia ter jogado a moedinha para você na Folha, assim você não se ressentiria dele.

    By Anonymous Anonymous, at 12:59 PM  

  • O qu eue ADOREI foi o nivel de discussão do Inácio:

    "O ser rastejante que comanda o espetáculo é um tal de Reinaldo Azevedo, é feio pra cacete e debilóide na mesma proporção"

    Isto me leva a crer que o INácio acredita que com esta frase
    in te li gen tís si ma
    ele venceu a argumentação...parece mais brigas de senhora!

    E eu querendo me intererar sobre cinema!

    Lana

    PS:- A ASEP ESTÁ CERTÍSSIMA EM EXIGIR SATISFAÇÃO DE SEUS BOLSISTAS. Ainda mais de um após-doutoranda ( que raio é isto?). Ela não é empregada da Fapesp, se não estiver satisfeita leve sua pesquisa a outros agentes interessados. Se tiver competencia, vai ter uma grita por patrocianadores, acredite.

    By Anonymous Lana, at 1:02 PM  

  • Putz, entrei aqui só por curiosidade. Inácio pretendeu polemizar com Reinaldo. Foi arrasado, mas conseguiu o que queria: audiência para este blog. Mas assim como Inácio, o sucesso dele também é pequeno. Amanhã mesmo, este espaço voltará ao ostracismo.Inácio deveria se contentar com seu emprego na Folha. Ele e o jornal têm personalidades parecidas. Mas, não. Tentou ser polêmico,quis voar mais alto.Vai ver, estava enjoado do anonimato.Mas foi fulminado já no primeiro round. Quem não tem competência não se estabelece.

    By Anonymous Leopoldo Dogher, at 6:27 PM  

  • Inácio, vá para a cama...

    Infeliz crítica a sua. Você ainda não conseguiu enxergar o conteúdo da questão, ficou apenas nas superficialidades e aparências. Tente ao menos entender o que se está discutindo antes de falar alguma coisa...

    By Blogger Salomão, at 6:31 PM  

  • Aos defensores da xenofobia fascista de Reinaldo Azevedo (o novo Claudio "dedo-duro" Marques do pseudo-lornalismo brasileiro) : VÃO TOMAR NO CU SEUS BOÇAIS !!!!

    By Anonymous Rui Moura, at 8:43 PM  

  • Ignácio,

    Precisa tomar muito Toddynho ainda meu rapaz... muito...

    By Anonymous Anonymous, at 10:22 PM  

  • Hoje que o assunto voltou à baila, com a Fapesp voltando à lucidez e restituindo a possibildade do Baladaboa, manifesto-me:

    Certo, o Inácio, no seu tom costumeiramente mais "jovial" desqualifica o tal do Reinaldo com pechas vazias.

    Mas, assim como o Reinaldo tem um ponto de vista defensável (ainda que meramente por obscurantistas hipócritas), a defesa do Baladaboa tem peso: a Fapesp não abraça projetos sem avaliação, e a retirada de apoio ao projeto da Psico-USP é muito mais vergonhosa do que o anterior apoio. Digo isso porque a decisão de APOIAR FOI TOMADA COM BASE EM ANÁLISES DE RELEVÂNCIA E VALIDADE CIENTÍFICAS; já A RETIRADA DO APOIO SE DEVEU À CONCESSÃO A PRESSÕES POR PARTE DE NÃO-CIENTISTAS, que pensam que programas de redução de risco equivalem a apologias.

    De mais a mais (li o texto do tal Reinaldo), ao que sua escrita indica, ele sinceramente acredita que é a natureza da substância que determina sua ilegalidade, e não que precisamente esta é que se sustente graças às conveniências do crime organizado (entenda-se: o cigarro é legal por contingência; as drogas ilegais são ilegais porque isso convém a uma dúzia de poderosos). Mas isso já é outra história... (http://www.olharvirtual.ufrj.br/2006/imprimir.php?id_edicao=130&codigo=4)

    By Anonymous Marcio Junji Sono, at 11:07 AM  

  • Aliás, acabei de ler o post do tal de César, que começa com "Hahaha! O Reinaldo Azevedo nutre muitos sentimentos pelas pessoas (e idéias) de que não gosta, menos respeito. Ou chamar aqueles estudantes que invadiram a USP"...

    POST Ó-TE-MO!
    Sobre o tal Reginaldo Azevedo, mais que isso é redundância...

    By Anonymous Marcio Junji Sono, at 11:11 AM  

  • Reinaldo Azevedo eh um imbecil. Ele escreve para a Veja. Fim.

    By Blogger Insanidade, at 1:59 AM  

Post a Comment

<< Home