Canto do Inácio

Thursday, May 10, 2007

SOBRE O ARTIGO DO RATTON
INÁCIO ARAUJO

Pensamos, Diego e eu, em publicar o artigo do Helvécio Ratton porque seu filme tem sido muito comentado aqui.

É importante dizer que fazer restrições ao filme de alguém não significa hostilidade à pessoa. Discordo de quem diz que ele se auto-elogia. Acho que quem faz um filme tem seus motivos para fazê-lo como fez e, claro, tem que expô-los.

Também no que diz respeito ao "Proibido Proibir", peço que se entenda aquele primeiro post (ou foi o segundo? Enfim...) como um desabafo num momento de mau humor.

Eu não quis ofender as pessoas da comissão do BO, muito menos ser contra o edital do BO. Já fiz parte de júri e sei, para começar, o quanto é ingrato você ter que repartir suas opiniões, ser derrotado e ter que assumir a coisa, ser embromado eventualmente, etc.

Também não procuro fazer tábula rasa dos filmes brasileiros. Existem os melhores e os piores. Mas a variação é dentro de uma perspectiva industrial. Essa é que comanda. Isso é que eu tenho a impressão (já para não dizer a certeza) de que vai dar com os burros n´água. Não seria a primeira vez.

11 Comments:

  • Bem, não tem nada a ver com o assunto mas é uma tremenda ironia que justo quando o papa visita São Paulo aconteça uma mostra do Pasolini lá no Cine Olido, que aliás é perto do Mosteiro de S. Bento.

    By Anonymous Alexandre, at 1:43 PM  

  • o papa vai lá ver uma sessão dupla de o evangelho segundo são mateus e salô

    By Anonymous Anonymous, at 6:06 PM  

  • Caro Inácio, creio ser desnecessária este teu post explicativo. Foste muito claro, direto, contundente e racional nas tuas argumentações. Não podemos tratar com paternalismo nossa produção cinematográfica.Valeu!Abraço.

    By Blogger bandini, at 5:06 PM  

  • Imagino se Claudio Assis precisasse escrever um artigo defendendo seu filme... Seria algo completamnte dispensável, considerando-se que "Baixio das Bestas" é bem claro em sua proposta. Ou seja, não precisa muita explicação. Apenas que seja visto!

    Eis um filme do qual você sai reclamando dos exageros e... depois (detesto essa expressão, mas vá lá) "cresce em você". Fiquei pensando naquele desolamento, naquela crueza toda, dias depois da sessão...

    Acho que isso significa que o cara tem talento, tem algo a dizer... e que o filme, acima de qualquer defeito, se afirma como uma voz a ser ouvida. (Ah, e os diálogos dizem SIM muito... considero-os indispensáveis dentro do filme. Baste como exemplo aquela "conversa fiada" na seqüência final, sob a chuva. Alguém está morrendo. Alguém está indo embora dali, seguindo sua sina. E os que ficam para trás (um deles, de cova pronta) suspiram pelas migalhas que não podem ter... Ai, meu Deus, quanto vale a vida, hein?)

    Bom, mas o assunto era o filme do Ratton, né? Sorry...

    Abraços,
    Carlos Lopes

    By Anonymous Carlos Lopes, at 3:26 PM  

  • Inácio, quero muuuito saber o que vc achou de BAIXIO DAS BESTAS!

    By Anonymous Anderson, at 9:27 PM  

  • O seu post sobre Proibido Proibir é de tamanha agressividade que qualquer restrição que voce tenha sobre o filme perde a validade... falta serenidade e sobra prepotência ..

    By Anonymous Maria Rita, at 2:07 PM  

  • Acho que Maria Rita nao argumentou com teu texto Inacio....foi mesmo, é chata com a tua ótica.....estranho isso...

    By Blogger Cinema na Vila, at 12:33 PM  

  • Tinha que ser mulher.

    By Anonymous Anonymous, at 7:18 AM  

  • prepotente o critico, prepotentes os criticos que comentam o critico, sabidos todos vcs!!!!!!!

    By Anonymous Maria Rosa, at 8:18 PM  

  • Ai, ela deu um chilique!

    By Anonymous Anonymous, at 5:03 AM  

  • não podemos tratar com paternalismo nossas produções, mas não podemos ser indiferentes ao fatos de sermos 'iniciantes' também.

    By Blogger camila, at 10:22 PM  

Post a Comment

<< Home